Fórum

Agora você pode discutir todas as questões importantes
Em nossos grupos em redes sociais:

Perguntas para os psicólogos fazem no cabeçalho a pergunta para o especialista
através do formulário de feedback.

Ajude -me a descobrir: não quero ir trabalhar em lágrimas, mas não vejo uma saída.

  • Gênero feminino
  • Mensagens: 108
  • Registro: 16.onze.2013
  • Localização: Moscou

Conhecer as pessoas, ajudar com conselhos ou me dizer a direção de como lidar com a situação. E a situação é a seguinte. Tenho 27 anos. Eu sou casado. O marido dela é boas relações. Vivemos separadamente. Ambos funcionam. Somente no último ano e meio, às vezes tenho birras do fato de odeio meu trabalho. Às vezes me parece que, em princípio, eu nunca quero trabalhar. Eu quero fazer o que eu gosto. Então, provavelmente aconteceu que na infância não fui ao jardim, T.Para. Havia uma doença, depois a operação, e provavelmente eu não estava acostumado "Pedir",

"Andando". Eu estudei na escola perfeitamente, com prazer, ninguém nunca me controlou. Então, com um diploma vermelho, ela se formou em uma escola secundária (professora de uma língua estrangeira). Sempre foi propenso à criatividade (a alma agora está para ele). Eu não aguento quando eles me fazem fazer qualquer coisa. Mas eu posso me superar. Os problemas provavelmente começaram quando, depois da faculdade, tendo recebido a profissão de um professor de inglês, entrei à revelia e encontrei algum problema irreal para encontrar um emprego em nossa cidade (a população é de apenas 150 toneladas. Humano). Eu tinha 19 anos. O trabalho para mim acabou sendo farinha. Eu trabalhei por algum tempo em um comerciante particular. Então seu pai sugeriu se mudar para ele em outra cidade e morar com ele (eu cresci sem ele, pais em divórcio dos meus 2 anos).Em geral, não vou descrever há muito tempo, mas não fui junto com meu pai, t.Para. Ele tem um personagem complexo e eu não tenho simples, ele precisava obedecer o tempo todo. Mas ele me ensinou a pensar e pensar. Eu o deixei com ataques de pânico terríveis, vsd. Mas não pretendia viver com eles mais. E tudo superou tudo. Analisado. Há cinco anos, não há ouvido sobre eles ou espírito. Continuei meus estudos (morando com meu pai, estudei em duas cidades diferentes, como resultado em onde meu pai, deixei meus estudos) na minha cidade (na revelia). Recebeu a profissão de um translator de linguista. Alterado 3 trabalhos por 4 anos. E agora, pelo terceiro ano, tenho trabalhado em uma grande corporação internacional. E eu começo a entender que vou me afastar dela. O mais difícil é que eu trabalho nos quadros, sempre sonhei em tentar trabalhar lá, mas não trabalhei. E no final, eu vi tudo "Pessoal de Kuznetsa". Vejo todos os dias como as pessoas exigem obediência completa, todos os interesses, aspirações. Vejo como os gerentes estão sentados em seus lugares há 10 anos e não querem contratar pessoas capazes de trabalhar, mas tomam "Pergaminhos"(Eu trabalho no trabalho). Nas entrevistas, as pessoas com antecedência exigem total lealdade à empresa, adotando seus interesses. Deus não permita que você dirá que você apenas ganha um pão diário aqui. Deus não permita que você expresse sua opinião (e estava correto para mim muitas vezes, como se viu mais tarde), você não será colocado em um centavo. E tudo bem, o pagamento seria digno. Mas todas as grandes empresas da cidade concordaram que o pagamento será com toda a média (eu sei que não, ouvindo, mas isso é um fato). Não é para onde correr. Encontrei uma produção temporária para mim: tenho 15 horas por semana de aulas pessoais com estudantes de inglês, além de 9 horas do trabalho principal. Além disso, eu gosto de fotografia. De alguma forma distraído por isso. Eu não gosto da minha funcionalidade no trabalho. Você precisa combinar trabalho administrativo e, ao mesmo tempo. E eu ficaria feliz em inventar, mas não há tempo para parar, distrair e começar a pensar. Além das autoridades diretas têm um estilo de liderança autoritário. Pode ser detido sem aviso prévio em uma reunião 2 horas após o trabalho. Ele considera normal. Expressa sua insatisfação com um tom repugnante, eu acho, inaceitável para comunicação construtiva. Mas o que me preocupa: eu entendo que não posso trabalhar no sistema, mas tenho que viver de alguma forma. Tenho medo de desistir e isso me preocupa terrivelmente. Por que tenho medo? Não sei. Não posso começar meu negócio, embora eu realmente queira, T.Para. Temos uma experiência malsucedida de parentes, por causa da qual minha família ainda está em dívida e não sinto confiança em amanhã. Quero entender se houver alguma saída da situação deles ou de toda a minha vida terá que reter as lágrimas para ir trabalhar (e as lágrimas são reais, às vezes para histeria e desespero).

  • Gênero feminino
  • Mensagens: 39360
  • Registro: 16.04.2010
  • Gênero feminino
  • Mensagens: 39360
  • Registro: 16.04.2010

O comentário é excluído pelo autor

  • Gênero feminino
  • Mensagens: 1480
  • Registro: 15.09.2008
  • Localização: Joanesburgo

Se você tem uma boa especialidade e conhecimento do idioma – tente se envolver em traduções ou aulas particulares, não precisa se estuprar; portanto, se essas viagens para o trabalho podem afetar seriamente sua saúde mental. Agora a saúde é muito cara.

  • Gênero feminino
  • Mensagens: 51
  • Registro: 04.onze.2013

Pense em mudar o local de trabalho, meu amigo conseguiu um emprego como professor em uma escola particular em inglês, estou muito satisfeito e o ZP é muito bom. Você pode até organizar seu privado gradualmente, porque uma língua estrangeira está sempre em demanda!
Não tenha medo de mudar algo!

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *